Sunteți pe pagina 1din 15

O Oriente Médio

•O Oriente Médio apresenta-se como uma das mais


complexas regiões do globo e desempenha, atualmente, um
papel estratégico na Ásia. O Oriente Médio é também
denominado Ásia Ocidental ou Levante.
•Quadro natural
•Ao centro situa-se a planície da Mesopotâmia (Crescente
Fértil), é atravessada pelos rios Tigre e Eufrates, que
nascem no maciço da Armênia e desembocam no Golfo
Pérsico, formando o estuário denominado Chatt-el-Arab.
•A fronteira entre Israel e Jordânia localiza-se a depressão do
Mar Morto, que está a 394m abaixo do nível do mar,
recebendo as águas do Rio Jordão.
O Oriente Médio - Quadro natural

• Clima: Quanto ao clima, ocorre variação entre a


semi-aridez e o deserto, em função das massas de ar
que atingem a região, oriundas do Norte da África
(quentes e secas - Saara). Na Turquia, conhecida como
Ásia Menor (Península da Anatólia), o clima é
temperado no interior e mediterrâneo no litoral.
• Ao longo do litoral mediterrâneo (Israel, Líbano e Síria)
destaca-se a vegetação típica desse clima
(mediterrânea).
• O Oriente Médio é banhado pelos seguintes mares: Mar
negro, Cáspio, da Arábia e pelo Oceano Índico.
O Oriente Médio – aspectos humanos
• Etnicamente, o Oriente Médio é também uma região
complexa, pois aí se destacam povos de variadas origens
e com credos diversificados, como:

País Etnia Religião

Turquia Otomanos Islamismo (Muçulmanos


sunitas)
Líbano Árabes Católicos e Muçulmanos
(semitas)
Israel Semitas Judaica (Hebraica)

Irã Persas Islamismo ( muçulmanos


xiitas)
Outros Árabes Islamismo
O Oriente Médio – a Civilização islâmica
• Islã significa resignação, submissão (a Alá – Deus).
• O Islamismo surgiu no começo do século VII e rapidamente se
difundiu entre as tribos árabes, unindo-as em torno da mesma fé.
• O livro sagrado dos mulçumanos é o Corão ou AlCorão.
• A civilização islâmica teve a sua origem na península Arábia.
Habitada por diferentes povos semitas (árabes, hebreus, assírios,
fenícios e aramaicos).
• Os povos árabes foram os grandes divulgadores da religião
islâmica. A expansão árabe-muçulmana acabou por islamizar uma
série de povos não-árabes, como os persas e os turcos.
O Oriente Médio – a Civilização islâmica
• A morte do profeta Maomé, em 632 d.c., provocou a divisão de seus
seguidores em dois grandes grupos: os xiitas e os sunitas,
predominantes até hoje.
• Os sunitas seguiram os ensinamentos de Maomé contidos em um
conjunto de textos que foi denominado SUNA. Para os sunitas, o
SUNA é uma importante fonte de verdade ao lado do Alcorão.
• Os xiitas consideram que o líder religioso e político deva ser
descendente de Maomé, além de só admitirem o Alcorão como fonte
sagrada. Os xiitas são contrários à ocidentalização (costumes
americanos e europeus) e são defensores intransigentes dos
fundamentos da fé islâmica. Os sunitas correspondem a 85% do
mundo muçulmano e os xiitas, aos 15% restantes.
O Oriente Médio – a Civilização Islâmica
• No mundo muçulmano, não pode nem deve haver conflito entre a
política e o mundo espiritual. O mundo político deve submeter-se
ao espiritual e a ele deve se adequar.
• “o mundo islâmico é constituído por uma só nação”, dizia o
profeta.
• O islamismo é monoteísta e o fiel muçulmano tem quatro deveres
básicos a cumprir:
1. Fazer orações cinco vezes ao dia, voltado para MECA.
2. Jejuar, não consumir bebidas nem tabaco, abstinência sexual,
especialmente no mês sagrado dos mulçumanos (Ramadã).
3. Dar esmolas que sejam proporcionais a sua renda.
4. Ir a Meca pelo menos uma vez na vida, em peregrinação
religiosa.
O Oriente Médio – conflitos e interesses
• O Oriente Médio é uma área estratégica, delimitada
pelos mares Negro e Cáspio , ao norte, Mediterrâneo e
Vermelho, a oeste, e pelo Golfo Pérsico e Oceano
índico, ao sul. é o ponto de encontro entre três
continentes: Ásia, África e Europa.
• Essa área, embora dominada por planaltos ressequidos
pela extrema aridez, contém em seu subsolo, o petróleo,
a maior riqueza da região, que garante aos muçulmanos
um grande poderio perante os demais países do mundo,
tornando a região palco de intensos conflitos entre os
países vizinhos e alvo de constantes interferências
estrangeiras.
O Oriente Médio – conflitos e interesses

• Após o término da 1ª Guerra Mundial, britânicos e os


franceses fizeram a divisão dessa área por meio do
acordo secreto de Sykes-Picot. Assim, Síria e Líbano
ficaram sob domínio francês, e Palestina, Mesopotâmia e
Jordânia, sob domínio inglês. No período entre as duas
guerras, muitos conflitos ocorreram, devido ao processo
de independência política dos países árabes. Após esse
período, os conflitos se intensificaram, principalmente com
a criação do Estado de Israel, devido ao interesse de
grandes potencias nas áreas petrolíferas e às disputas
internas de poder, o que tem contribuído para a
instabilidade constante na região.
O Oriente Médio – Israel

• Em 1897, na Basiléia, Suíça, ocorreu um congresso do


qual se originou o sionismo, movimento nacionalista que
defendia a luta pela formação de um Estado judaico. O
termo sionismo vem de Sion, uma colina na antiga
Jerusalém, mas que os judeus usam para se referir à
Palestina como um todo.
• A religião judaica, tronco da qual se originou o
cristianismo, é monoteísta. Os judeus seguem o
Talmude, uma coleção de tradicionais escritos dos
rabinos que interpretam a Lei de Moisés. Sua principal
características é o messianismo, ou seja, a crença na
vinda de um Messias, que viabilizará a libertação
definitiva de Israel.
O Oriente Médio – Questões territoriais
• A divisão territorial arbitrária promovida no Oriente
Médio pelos colonizadores europeus, no início do século
XX, gerou diversos problemas de ordem geopolítica que
perduram até hoje. Isto porque, quando os ingleses e
franceses subdividiram a área do extinto império Turco-
otomano em novos países, não levaram em conta a
diversidade de grupos étnicos que habitavam esses
territórios, mas apenas os seus interesses econômicos
nessa parte da Ásia, da mesma forma que ocorrera com
a chamada Partilha da África.
A criação de Israel e a questão Palestina
• Entre os conflitos existentes hoje no Oriente Médio, provavelmente
o que tem causado maior repercussão e apreensão em todo o
mundo seja o conflito entre judeus e palestinos.
• No inicio do século XX, milhares de judeus espalhados pelo mundo
passaram a migrar para a Palestina, fundando bairros judaicos nas
cidades e colônias agrícolas na zona rural. ameaçados pelo grande
afluxo de judeus, os palestinos entraram em conflito com esses
migrantes, que reivindicavam parte do território palestino.
• No final da década de 1940, a pressão exercida pela comunidade
judaica internacional, com o apoio do EUA, levou a ONU a instalar
o Estado de Israel, usando, para isso, parte do território palestino.
Esse fato serviu para acirrar ainda mais o conflito entre esses dois
povos.
Jerusalém: cidade sagrada das três grandes religiões

• Localizada no centro do Estado de Israel e fazendo fronteira, a oeste, com


o território da Cisjordânia, Jerusalém é uma síntese dos conflitos existentes
no Oriente Médio. Ela apresenta-se como um mosaico étnico que reúne em
uma única cidade povos de religiões distintas.
• Atualmente com cerca de 500 mil habitantes, Jerusalém está dividida entre
a cidade nova, onde vive a maioria da população, e a cidade velha
histórica, onde moram cerca de 20 mil pessoas. O controle da cidade velha
é uma das principais causas das disputas que ocorre hoje em dia entre
judeus e árabes. Nesse pequeno espaço, de aproximadamente 1km², estão
reunidos monumentos históricos sagrados para cristãos, judeus e
muçulmanos.
• Todos esses monumentos estão espalhados em quatro bairros distintos: o
judeu, o árabe, o cristão e o armênio.
• Assim, tomado pelos judeus e reivindicado pelos árabes, o controle político
da “cidade santa” apresenta-se como o principal obstáculo ao acordo de
paz entre israelenses, palestinos e as outras nações árabes do Oriente
Médio.
A questão da água no Oriente Médio
• Nessa região de clima árido, o controle de um país
sobre os poucos recursos aqüíferos subterrâneos ,
nascentes e cursos de rios possui enorme importância,
pois garante o abastecimento de água.
• Dessa forma, disputas por áreas de bacias hidrográficas
e pela utilização de lençóis subterrâneos têm sido,
também, causa de conflitos armados. A bacia
hidrográfica do rio Jordão, é motivo de disputa territoriais
entre quatro países fronteiriços: Israel, Líbano, Síria e
Jordânia. Um dos objetivos de Israel ao invadir a Síria,
em 1967, era obter o controle sobre as colinas do Golã,
onde estão as nascentes do rio Jordão.
A questão da água no Oriente Médio
• Outra região do OM em que a questão da água provoca
tensão é a área em torno das bacias dos rios Tigre e
Eufrates. As principais nascentes desses rios localizam-
se em território turco, e suas águas, que correm em
direção ao Golfo Pérsico, abastecem a Síria e o Iraque.
No entanto, os sírios e os iraquianos se vêem
ameaçados pela Turquia, que pode controlar os fluxos
de água por meio de projetos de irrigação e da
construção de hidrelétricas em seu território. Isso poderá
prejudicar o abastecimento dos países a jusante
(abaixo), gerando novos conflitos.
O petróleo e as desigualdades sociais
• A economia baseada na exploração do petróleo
trouxe muita riqueza para os países produtores
do OM. No entanto, podemos afirmar que essa
riqueza está desigualmente distribuída.
• Na realidade, as riquezas geradas pela
exploração do petróleo acabam por beneficiar
apenas uma pequena elite dominante: a
nobreza; os altos funcionários do Estado; os
proprietários de terras onde estão os campos
petrolíferos; e as multinacionais que dominam o
mercado mundial do produto.