Sunteți pe pagina 1din 9

Mestrado em Contabilidade e Controlo de Gestão

Contabilidade Financeira II – SESSÃO de 26/02/2019

Justo Valor
Ana Cristina Perdigão
Mariana Nascimento
Introdução
Conceitos
Definição segundo a IFRS 13
Níveis de Hierarquia e Abordagens de Medição

Vantagens e Desvantagens
Segundo alguns defensores e críticos

Desafios da Auditoria
Norma ISA 540 estabelece critérios para auditoria do Justo valor,
Responsabilidades do Auditor

Contabilidade Criativa
A subjetividade do Justo Valor
Conceitos

A IFRS 13 definiu o
Justo Valor
conceito de justo como:

O preço que seria recebido na venda de um


ativo ou pago na transferência de um passivo
numa transação ordenada (sem qualquer
pressão) no mercado principal à data de
mensuração. (§9)
Mensuração e Técnicas
Hierarquia na Determinação do Justo Valor Técnicas de Avaliação recomendadas pela IFRS 13

Nível 1
Preços cotados em mercados ativos
Abordagem Mercado
Preços e outras informações relevantes geradas por transações
de Mercado envolvendo ativos e passivos idênticos ou
comparáveis

Nível 2
Informações Observáveis
Abordagem Custo
Técnica de avaliação que reflete o valor que seria exigido
atualmente para substituir a capacidade de serviços de um
ativo (custo de substituição ou reposição)

Nível 3 Abordagem Rendimento


Dados não observáveis Técnicas que convertem valores futuros (por exemplo fluxos de
Calculado com base em critérios mark-to-model caixa ou receita) em um valor atual, ou descontado

A escolha da técnica a ser utilizada depende da existência ou


não de dados suficientes no mercado.
Defensores e Críticos
Mais adequado para o processo de harmonização contabilística,
Informação financeira mais próxima da realidade

As vantagens inerentes ao justo valor passam pela maior relevância, em oposição ao


custo histórico, pela comparabilidade, assim como pelo facto de os valores expressos
assentarem, por norma, em valores correntes de mercado, logo fornecendo uma
informação mais atualizada (Bastos, 2009; Sousa, 2011).

Brînza e Begenscu (2016) declaram que o justo valor, nos períodos positivos, ajuda as
entidades a refletirem o impacto imediato do crescimento das receitas e da criação de
valor; e, em situações de crise, é o melhor modo de fornecer aos investidores as
informações necessárias.

Falta de fiabilidade devido à subjetividade, que pode transmitir


insegurança aos investidores

A inexistência de mercados de referência, que implica a determinação de valores


estimados através de técnicas e regras de valorização, gera maior subjetividade, fator
que é considerado grande desvantagem (Rua, 2013) e que é associado a propensão
para ocorrência de conflitos de interesses (Bastos, 2009).

Os custos elevados intrínsecos à determinação do justo valor influenciam as


entidades a não optarem por este modelo de mensuração (Simões, 2009).

Segundo Abreu, Magro e David (2009), o método do justo valor pode ser adulterado,
resultando na perda de credibilidade contabilística, pelo que defendem a imposição de
restrições austeras neste modelo.
Auditoria do Justo Valor
O Justo valor é relevante para os trabalhos de auditoria pois tem aumentado o risco de distorção material das demonstrações
financeiras e também aumentado a necessidade de conhecimentos técnicos especializados.
Pouco Capacidade
O risco é evidenciado em maior grau quando há: técnica nas
avaliações

Subjetividade dos
Pressupostos

Preços não
observáveis (Nível 3)

Inexistência de
Mercados organizados
e líquidos

Para reduzir o grau de incerteza e melhorar a


consistência dos trabalhos de auditoria do justo valor
foi publicada a Noma Internacional de Auditoria 540
(ISA 540).
ISA 540
Estabelece a necessidade de obtenção de prova de auditoria suficiente e apropriada que permita avaliar se as mensurações e
divulgações ao justo valor são razoáveis e se estão adequadamente registaadas.

Na primeira análise, o Auditor, deve obter esclarecimentos sobre requisitos e a forma como o órgão de gestão prepara e identifica as
estimativas ao justo valor, especialmente:

Avaliar o Ambiente do Avaliar a qualidade dos


Controlo Interno e dos sistemas de informação
Seleção das Técnicas e
níveis de automação do e a segregação de
Dados de Avaliação
processo função  Identificar
deficiências

 Definir se estão ou
1 2 3 4 5 não apropriadas

 Determinar a
necessidade de um
perito independente
Definir e avaliar a Avaliar a experiência das
qualidade dos pessoas envolvidas no
Pressupostos utilizados processo
como exemplos Fluxo
de Caixa, Taxa de
Desconto, Períodos.
Responsabilidades do Auditor
Analisar criticamente os métodos Pode Desenvolver Estimativas
de avaliação utilizados, analisar se Independentes. Para comparar com
a Técnica é apropriada para a os resultados obtidos
operação

Auditor

Consistência dos pressupostos no


Coerência dos pressupostos ao mercado e com outras transações da
longo do tempo com o objetivo de entidade, com objetivo de verificar se
evitar que as técnicas sejam alteradas existem alternativas mais fiáveis
em benefício da gestão

As conclusões do auditor sobre se os ativos e passivos ao justo valor estão adequadamente


mensurados e divulgados são baseadas no seu julgamento profissional face à conformidade das
divulgações e das técnicas de avaliação com os princípios contabilísticos em vigor
Contabilidade Criativa x Justo valor
 Não é ilegal e trabalha dentro das normas  No nível 3 - É uma mensuração desenvolvida a partir de
contabilísticas vigentes pressupostos baseados em expectativas futuras, para aferir
o valor mais real e atual de um ativo/passivo
 Não esta no campo da fraude
 Sua subjetividade configura Contabilidade Criativa

Práticas Positiva
contabilísticas
que servem para
manipular a
informação
relatada, sem
infringir as normas,
de modo a
aumentar os
resultados ou a
Consiste em uma
atratividade da
estratégia
empresa.
contábil
decorrente de um
conhecimento
considerável da
Justo matéria em
questão e não a
Valor manipulação da
Negativa contas.