Sunteți pe pagina 1din 6

CEEP-controle e Gestão do Nordeste

Pedro Ribeiro Pessoa

RESÍDUOS SÓLIDOS

ALUNOS: Beatriz
Marcos
Mariana
Monique
Beatriz
Rabeca

ORIENTADORA: ISMIRNA
O que são Resíduos sólidos:

 Resíduos sólidos são todos os materiais que resultam


das atividades humanas e que muitas vezes podem
ser aproveitados tanto para reciclagem como para
sua reutilização.A denominação “resíduo sólido” é
usada para nominar o “lixo” sólido e semissólido,
proveniente das residências, das indústrias, dos
hospitais, do comércio, de serviços de limpeza
urbana ou da agricultura.
5 TIPOS DE RESÍDUOS SÓLIDOS QUE VOCÊ
PRECISA ENTENDER
 1. Resíduos Sólidos Urbanos: Resíduos sólidos urbanos são provenientes de
residências, da limpeza pública urbana, dos comércios e de prestadores de serviços.
Geralmente são compostos por resíduos de natureza orgânica, recicláveis em geral (papel,
plástico, vidro) e inorgânicos (produtos manufaturados em geral contendo alguns recicláveis
como metais e rejeitos como espumas e isopor)

 2. Resíduos Industriais: Os resíduos industriais são provenientes dos processos


produtivos industriais (Usinagem, fabricação/montagem de peças, fabricação de alimentos e
outros) podem estar no estado sólido, semissólido, líquido ou gasoso.

 3.Resíduos sólidos hospitalares: são resíduos produzidos dentro de


estabelecimentos de saúde como hospitais, clínicas médicas e odontológicas, clínicas
veterinárias e afins.

 4. Resíduos de Construção Civil: Resíduos provenientes de obras civis, como


por exemplo de construções, demolições, reformas, ampliações, etc, comumente conhecido
como entulho. Exemplo: componentes cerâmicos (tijolos, blocos, telhas, placas de
revestimento etc.), argamassa e concreto.

 5. Resíduos Nucleares: Todo fluxo de gerenciamento dos resíduos nucleares devem


obedecer as exigências do CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear, onde é apontado os
procedimento a serem adotados desde a geração até a destinação final do resíduo.
O que são resíduos perigosos

 São várias as formas para a classificação de resíduos: em


razão de sua natureza (seco e molhado), por sua
composição química (matéria orgânica e matéria
inorgânica), etc. No Brasil a classificação adotada é
regulada pela NBR 10004 - Classificação de Resíduos
Sólidos, que segue o critério dos riscos potenciais ao meio
ambiente.Os resíduos perigosos fazem parte da classe 1 e
são aqueles tipos de material que apresentam riscos à
saúde pública e ao meio ambiente, exigindo tratamento e
disposição especiais em função de suas características de
inflamabilidade, corrosividade, reatividade, entre outras.
Como realizar a caracterização e
classificação de resíduos sólidos

 CARACTERIZAÇÃO: a caracterização de resíduos consiste em


determinar os principais aspectos físico-químicas, biológicas,
qualitativas e/ou quantitativas da amostra. Os parâmetros
analisados dependem para qual fim serão utilizados. Os resultados
analíticos auxiliam na classificação do resíduo para a escolha da
melhor destinação do mesmo.

 CLASSIFICAÇÃO: a classificação de resíduos envolve a


identificação do processo ou atividade que lhes deu origem, além
de seus constituintes e características com listagens de resíduos e
substâncias cujo impacto à saúde e ao meio ambiente é
conhecido. A identificação dos constituintes a serem avaliados na
caracterização do resíduo deve ser criteriosa e estabelecida de
acordo com as matérias-primas, os insumos e o processo que lhe
deu origem.
Formas de Tratamento e Destinação dos
Resíduos Sólidos

Reciclagem: Consiste, basicamente, da reintrodução dos resíduos no processo de


produção. É uma prática que precisa ser difundida, especialmente pela economia da
energia gasta nos processos de produção e pela
Compostagem: Constitui-se no processo biológico de decomposição da matéria orgânica
contida em restos de origem animal ou vegetal
Aterro Sanitário: É a forma de disposição final de resíduos sólidos no solo, em local
devidamente impermeabilizado, mediante confinamento em camadas cobertas com
material inerte, geralmente solo, segundo normas operacionais específicas, de modo a
evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança, minimizando os impactos ambientais.
Incineração: É o processo de redução de peso e volume do lixo pela combustão
controlada. A incineração é utilizada, atualmente, no Brasil, apenas para o tratamento de
resíduos hospitalares e industriais. É bastante difundida em países desenvolvidos e com
pouca extensão territorial e, normalmente, associada à produção de energia.