Sunteți pe pagina 1din 11

A Construção do

Plano de Negócio

Antonio Renato Cecconello Capa


Alberto Ajzental da Obra

1ª Edição | 2008
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

Capítulo 1

A necessidade do Plano de Negócio


Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

1. A necessidade do Plano de Negócios

Pode ser encontrada na ampliação de uma linha de montagem, na


verificação da viabilidade de um novo negócio, etc.

A curiosidade e necessidade de aperfeiçoamento dos homens levaram a


inúmeras descobertas e evoluções. Para o empreendedor, empresário
ou dirigente de uma empresa a oportunidade de negócio pode ser
encontrada através de:

Comportamento previsto X Práticas observadas

Desta forma, deduz-se que a oportunidade de negócio nasce de


necessidades compreendidas. Como, por exemplo, o walkman que
nasceu do rádio que era escutado em casa partindo para a possibilidade
de ser ouvido durante a mobilização da pessoa de um lugar para outro.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

Os produtos tiveram acrescentados a sua função original inovações


propiciadas pela tecnologia e pelo desenvolvimento das necessidades
apresentadas pelo consumidor.

O alto número de fracasso das empresas é umas das provas mais


consistentes da necessidade de se fazer um Plano de Negócios. Dentre
os motivos pelos quais as empresas não costumam durar mais do que
três anos no mercado estão:

• Falta de experiência no ramo;


• Pouco tempo dedicado ao estudo da viabilidade do negócio;
• Falta de planejamento antes da abertura;
• Estrutura inadequada;
• dentre outros.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

Quanto a esses obstáculos, podem surgir inúmeras perguntas:

• Como é que nascem os negócios?


• O que é necessário para minimizar o risco de empresa falir ou quais
cuidados observar na elaboração de um plano de negócios?
• Como minimizar o processo de tentativa de erro?

Antes de responder a estas perguntas, deve-se comentar alguns


aspectos quanto ao surgimento da idéia de um novo negócio e sua
evolução.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

1.1 Indícios de problemas ou fatos geradores de problemas


sentidos

Planos para novos negócios podem decorrer de:

• Iniciativas de novos empreendedores que buscam independência;


• Empreendedores experientes que desejam diversificar o negócio;

É fundamental ampliar o conhecimento sobre o que é um novo negócio


para extingüir possíveis dúvidas do tomador de decisões.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

Os tipos de problemas mais comuns em negócios existentes estão


relacionados às áreas financeiras, mercadológicas, operacional,
tecnológica ou de relacionamentos, como:

• Ampliação de aplicações de produtos e serviços;


• Observação de demandas não atendidas/não percebidas,
oportunidades de melhorias de processos operacionais;
• Pressões por melhores margens;
• Maiores necessidades de caixa;
• Observação de ineficiências recorrentes.

Tais problemas indicam disfunções ou problemas que precisam de


solução. No entanto, a solução também pode falhar caso seja feita
através de diagnósticos ingênuos.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

1.2 O diagnóstico ingênuo

Decorre de interpretações da realidade baseadas em julgamentos


pessoais ou relações de causa e efeito fictícios, os quais são
considerados premissas inconsistentes.

• No caso de TCCs com planos de negócio pode ocorrer diversas


descrições não apresentam dados consistentes para sua aprovação por
partirem de premissas ingênuas, teorizações subjetivas.

• Em empresas, pode acontecer de responsáveis tomarem decisões por


capricho, dogmas ou manifestações que levem a empreitadas sem
garantia de sucesso.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

O desafio inicial do Plano de Negócio é identificar com mais precisão os


motivos que sugerem sua elaboração. Podem ser questionamentos do
administrador quanto a alternativas para investimentos diante
perspectivas de mercado e oportunidades de melhorias.

• No caso do contexto metodológico: os questionamentos podem ser


interrogações iniciais sobre a viabilidade de um negócio a partir de uma
análise econômico-financeira que represente a verificação de hipóteses
e variáveis atribuídas ao problema.

Para evitar o diagnóstico ingênuo e suas conseqüências, busca-se a


racionalização da intuição que serve, primeiramente, como sinal de
alerta. Desta forma, conhece-se mais sobre os aspectos que fazem
parte do que se quer analisar.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

1.3 A racionalização da intuição

Laville e Dionne: As interrogações iniciais são passíveis de serem


fundamentadas por meio de pesquisas exploratórias que tenham
consistência quanto a tendências e correlações com fatos observados no
ambiente de interesse da empresa-objeto.

Através dessas premissas pode-se estruturar vários indicadores que


justifiquem o desenvolvimento do estudo.

• No caso de um novo empreendimento: o estudo visaria a análise de


viabilidade técnica, econômica e financeira do projeto.

• No caso de um reposicionamento estratégico: o estudo poderia se


atentar à manutenção da atividade atual e à entrada no novo setor ou
desativação de um setor, quanto a sensações de segurança ou
insegurança através da observação de fatos internos ou externos às
empresa.
Capítulo 1
A necessidade do Plano de
Negócio

Fatos externos: entrada de novos concorrentes, restrições legais,


queda de barreiras à importação de produtos similares, disponibilidade
de matérias-primas, etc.

Fatores internos: políticas de compra e venda, processos produtivos,


ineficiências operacionais, mudança de tendência, etc.